quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Umbuzeiros Bar Restaurante & lanchonete na zona rural de Lagoa Nova RN

 

Video Publicidade 

Umbuzeiros Bar Restaurante & lanchonete. 

Lá você vai encontrar o melhor da culinária serrana. Contamos também com o melhor serviço de bar restaurante e lanchonete estamos funcionando  das quarta-feiras as sexta-feira das 17:00 as 22:00 horas e aos sábados e domingos das 09:00 as 22:00 horas  vale lembra que nos finas de semana servimos almoço apartir das 11 horas. Whatsapp 84 9.8177-4742! 

Estamos Localizados no Sitio de Dentro Zona Rural de Lagoa Nova RN

Umbuzeiros bar restaurante e lanchonete 

UM AMBIENTE FAMILIAR PARA TODA SUA FAMÍLIA!

Governo do RN prorroga decreto de calamidade por causa da pandemia da Covid-19

 Documento publicado nesta terça-feira (20) vale por 90 dias e pode ser prorrogado por mais 90.


Por G1 RN

Governadoria do Rio Grande do Norte — Foto: Thyago Macedo
O Governo do Rio Grande do Norte publicou, nesta terça-feira (20), um novo decreto que prorroga o Estado de Calamidade Pública no Rio Grande do Norte, por conta da pandemia do novo coronavírus, declarada em março pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O documento vale por 90 dias e pode ser prorrogado por mais 90 dias.

Para prorrogar o estado de calamidade, iniciado em março deste ano, o governo informou que levou em conta a continuidade do estado de calamidade pública em saúde de importância internacional, declarada pela Lei Federal nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020.

Ainda acordo com o estado, a decisão também considerou a continuidade de confirmação de pessoas infectadas, a necessidade de ações emergenciais e as mais de 2,5 mil mortes decorrentes da pandemia no RN, conforme os boletins da Secretaria de Saúde.

O decreto entrou em vigor a partir da publicação. Ainda de acordo com o Executivo, o Gabinete Civil do Governo do Estado (GAC) vai emitir ofício solicitando reconhecimento federal de Calamidade Pública, a partir do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).


Cuidado com o que você ver e ler durante período eleitoral

 

Com o intuito de prejudicar ou beneficiar alguém, as fakes News se propagam no período eleitoral e, são usadas criminosamente com intensidade durante a campanha.

O eleitor deve está muito atento as postagens em redes sociais e até mesmo em blogs, a política mesquinha é uma prática danosa ao eleitor que por paixão partidária se deixa contaminar.

O conceito de fake news (notícias falsas) está associado à criação e disseminação (viralização) de histórias falsas, apresentadas sob aparência de notícias jornalísticas e compartilhadas nas redes sociais.

A escrita de uma informação mentirosa com intuito de confundir o eleitor é crime previsto em lei.

Lei contra fake news eleitoral pode dar até oito anos de cadeia

Fonte: Repórter Seridó

terça-feira, 20 de outubro de 2020

Rafael Guedes Serviço de gesso e Rebobimamento de motores elétricos.

 

Rafael Guedes Serviço de gesso em geral e  Rebobinagem de motores elétricos

No serviços de gessos você vai encontar ;

Película

Rebouco

Forro de plaquinha

Trabalhamos com gesso 3d

Forro drywall e decorações

 

 

E nos serviços de Rebobinagem de motores elétricos

Temos os serviços de:

Rebobinagem

Parte elétrica

Troca de rolamentos

 

Estamos localizados na Rua Jose Ferreira da costa N° 97 Centro Lagoa Nova RN

Fone whatsApp 84 9.9617 3329

Email Rafaelguedestec@gmail.com

 

Siga- nos nas redes sociais Instagram e Facebook Rafael Guedes.

 

Rafael Guedes Serviço de gesso em geral e  Rebobinagem de motores elétricos , Qualidade e comprometimento com o cliente!


Pandemia reduz exames de mama no SUS em 62%, diz pesquisa

 Levantamento feito pelo Ibope Inteligência aponta que 73% das mulheres com mais de 60 anos disseram não ir ao médico por medo da Covid-19

Há sete anos, a dona de casa Maria Aparecida de Sousa, moradora de Valparaíso de Goiás, descobriu o câncer de mama após um autoexame. Anos depois da retirada e reconstrução da mama, Maria Aparecida segue com o acompanhamento médico e exames de rotina no Sistema Único de Saúde (SUS). Em uma das visitas à unidade hospitalar durante a pandemia, foi infectada pelo coronavírus e teve todos os compromissos no sistema público de saúde cancelados. 

“Fui para a consulta e duas semanas depois comecei a sentir os sintomas. Fiz o exame e deu positivo. Fiquei em isolamento. Depois fiz outro teste e deu negativo. Meus exames foram todos cancelados depois que tive a Covid-19. Foi a época que tinham mais cuidados com os pacientes, cancelaram consultas e exames. Psicólogo e psiquiatra só por vídeo chamada e buscar receita é com o maior cuidado”, conta a dona de casa.

O caso da dona Maria Aparecida ilustra o resultado da pesquisa do Ibope Inteligência, a pedido da farmacêutica Pfizer, que revela que 62% das mulheres não foram realizar exames de detecção de câncer de mama este ano devido à pandemia. As mulheres com mais de 60 anos foram as mais afetadas de acordo com o estudo, 73% disseram não ir ao médico ginecologista ou mastologista por medo da Covid-19. “Agora em outubro, tinha consulta com mastologista e não fui. Tinha psiquiatra, não fui porque fiquei com medo de sair de casa. Meus filhos têm medo que eu pegue a Covid-19 novamente”, diz Maria Aparecida. 

Entre as mulheres de 30 a 39 anos, 59% disseram estar aguardando a pandemia passar para ir ao médico, a menor taxa entre as entrevistadas. Dados da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Amama (FEMAMA) revelam que a principal reclamação das pacientes atendidas desde o início da pandemia foi o cancelamento de consultas. 

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o Brasil tem mais de 66 mil novos casos de câncer de mama todos os anos, com taxa estimada em 61,61 casos a cada 100 mil mulheres. 

CNS se une a estados para cobrar manutenção do piso emergencial para combate à pandemia

Quase um terço dos estados ainda não publica informações sobre contágio da Covid-19 em unidades prisionais, aponta estudo

Cirurgias

Em números gerais as cirurgias de câncer no Brasil reduziram em 70% os procedimentos entre março e maio, segundo levantamento da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO) – redução de 116 mil cirurgias. 

Os dados se estendem a outras áreas da medicina atendidas pelo SUS. As doenças cardíacas tiveram 70% das cirurgias canceladas em abril, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia Intervencionista (SBCI). Em relação a doenças renais, que provocam 35 mil mortes por ano, as cirurgias caíram 70% e os exames tiveram redução entre 50% e 80%, dependendo da região do país, segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN).  

Para Maira Caleffi, mastologista e presidente voluntária da FEMAMA, os efeitos da pandemia no cancelamento de procedimentos no SUS serão sentidos a médio e longo prazo. “Os efeitos serão devastadores. Já tínhamos problemas de agilidade no acesso a diagnósticos e biópsias de lesões suspeitas antes da pandemia.

Piorou muito a espera. Isso certamente vai impactar, a médio e longo prazo, na sobrevida, na chance de cura dos pacientes com câncer. No caso de pacientes com câncer de mama isso é dramático. Talvez tudo que conseguimos com alerta da população em identificar o diagnóstico precoce, perdemos”, diz. 

Na avaliação de Caleffi, um dos caminhos para o poder público conseguir minimizar os impactos da pandemia no sistema de saúde é através das parcerias público-privadas. “O setor privado está aparelhado e sob protocolos mais rígidos. Quem vai ter menos chance de cura são aquelas pessoas que só contam com o sistema público”, relata. 

Mesmo com a pandemia e os efeitos no pós-crise, o Governo Federal planeja cortes no orçamento da saúde para o ano que vem. A intenção do Executivo é destinar ao Ministério da Saúde R$ 127,7 bilhões de reais, R$ 7 bilhões a menos do que em 2020. Com o acréscimo de gastos por conta da pandemia, o orçamento da saúde deste ano é de aproximadamente R$ 175 bilhões. 



Fonte: Brasil 61

Reforma Tributária fica para dezembro

 


A comissão do Congresso Nacional que analisa propostas de reforma tributária decidiu por estender o prazo de trabalho por mais dois meses. O relator, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), está finalizando sua sugestão para apresentação ao colegiado, que agora tem até 10 de dezembro para aprovar um parecer.
 
A primeira data estava marcada para o dia 7 de outubro, mas as mudanças tributárias não tiveram consenso entre os líderes partidários no Congresso. O ponto mais polêmico é a fonte de financiamento da desoneração da folha de pagamento. O ministro da Economia, Paulo Guedes, defende a criação de um novo tributo, mas o Congresso resiste.

Fonte: Brasil 61


segunda-feira, 19 de outubro de 2020

Campanha Nacional de Mutivacinação segue até 30 de outubro

 

O Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde, 
oferece, atualmente, 18 vacinas para crianças e adolescentes, 
incluindo a cobertura de diversas doenças como sarampo, febre amarela, 
rubéola, caxumba, hepatites A e B

A campanha Nacional de Multivacinação segue até o dia 30 de outubro para atualizar as vacinas. A meta é imunizar 11 milhões de crianças de um ano a menor de cinco anos de idade contra a poliomielite, além de atualizar a caderneta dos menores de 15 anos em todo o país, até o fim da campanha.

 Segundo o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, o Movimento Vacina Brasil procura ampliar as coberturas vacinais, resgatar o sentimento de segurança dos pais e responsáveis em relação aos filhos e acabar com as fake news em relação a vacinação.

O Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde, oferece, atualmente, 18 vacinas para crianças e adolescentes, incluindo a cobertura de diversas doenças como sarampo, febre amarela, rubéola, caxumba, hepatites A e B.



últimos Destaques